17/05/2022
spot_img
InícioDicas para cachorroDicas para controlar melhor um cachorro agitado

Dicas para controlar melhor um cachorro agitado

Será que cachorro agitado é sinônimo de alegria ou que esse animal está gozando de um bem-estar completo?

Muitas vezes imaginamos um animal de estimação curioso, brincalhão e cheio de energia correndo pelo parque ou quintal e dizemos que ali está um cachorro feliz!

Há momentos, entretanto, em que um cachorro agitado se torna uma fonte de preocupação para os donos, como quando o animal começa a apresentar comportamentos indesejados.

Também pode mostrar sinais de deterioração da saúde, como respiração ofegante e automutilação, em casos mais graves. Mas, afinal, o que distingue um cão hiperativo ou agitado?

De acordo com a Dra. Katia de Martino, veterinária comportamental, a hiperatividade em cachorros não é tão comum quanto muitas pessoas acreditam, com a maioria dos casos decorrentes do manejo insuficiente das necessidades caninas.

Em seguida, descubra o que causa agitação em cães e como lidar com o problema.

Cachorro agitado é um caso de hiperatividade ou falta de estimulação?

Considere um cachorro agitado que se recusa a ficar parado e destrói tudo o que encontra, como brinquedos, sapatos e outros utensílios domésticos.

Muitas pessoas presumem que é um cachorro agitado ou hiperativo quando perguntadas sobre isso, mas não é o caso.

É necessário examinar o dia a dia do animal antes de classificá-lo como um caso “atípico”. A Dra. Katia explica: “Podemos dizer que existe ‘hiperatividade’ devido à falta de estímulos e ao atendimento das necessidades fisiológicas dos cães”.

Em outras palavras, todos os cachorros contam com um ambiente consistente e uma rotina para estimular certos comportamentos naturais.

Quando essas necessidades não são atendidas, a energia do animal é desviada para uma ou mais atividades que nem sempre agradam aos tutores, como destruir objetos domésticos.

É inútil procurar uma solução milagrosa, como usar um remédio ou essência floral para um cachorro agitado, quando você percebe que seu amigo de quatro patas tem muita energia acumulada.

Em vez disso, aprenda e responda às necessidades individuais dos cães, de preferência com a ajuda de um especialista em comportamento.

Leia mais: Dicas e todas as vantagens de um cachorro independente

É verdade que algumas raças de cachorro apresentam um nível de ansiedade mais alto do que outras?

Independentemente da raça, todos os cachorros requerem uma rotina consistente que lhes permita expressar seus comportamentos naturais.

Dito isso, existem diferenças entre as raças no que diz respeito à agitação.

A Dra. Katia explica que, como as raças de cachorros foram criadas para desempenhar funções específicas, algumas podem ser mais agitadas do que outras, dependendo da tarefa. “Cães de caça, por exemplo, requerem energia para funcionar. Por isso, ficam mais agitados”, continua.

Além disso, a veterinária comportamental ressalta que a idade tem impacto na tendência a ter mais ou menos energia para gastar: “Filhotes têm atividades mais intensas que os adultos”, diz ela.

Veja também: Aprenda como tirar pulga de cachorro filhote

O que você pode fazer para acalmar o cachorro agitado?

Entender que as necessidades de um cão são muito diferentes das nossas é o primeiro passo para acalmar um cão agitado.

Enquanto para muitos de nós, ficar deitado no sofá o dia todo sem se preocupar com o mundo é sinônimo de uma boa noite de sono, para os cães essa rotina é um pouco tediosa.

Certas atividades naturais, como farejar e perseguir a presa, dilacerar e roer objetos, conviver com pessoas e outros cachorros, etc., são estimulantes para eles.

A ausência desses exercícios na rotina diária prejudica a saúde física e emocional dos cães, contribuindo para a agitação e o surgimento de comportamentos indesejáveis ​​como o hábito de destruir utensílios domésticos.

Confira ainda: Raças e curiosidades dos cachorros mais rápidos do mundo

Enriquecer o meio ambiente para o cachorro se sentir melhor

Uma das recomendações mais importantes é melhorar o enriquecimento ambiental, o que significa criar um ambiente que permita ao cachorro inquieto se envolver em comportamentos naturais.

Invista em diferentes formas de oferecer alimentos, como comedouros interativos, e aposte em brinquedos com propostas diversas.

Vale ressaltar que a forma como os brinquedos e demais acessórios são usados ​​também é importante para garantir a variedade.

Desde que as bolas sejam lançadas pelo tutor, as bolas são uma ótima maneira de incentivar o cão inquieto a correr e correr atrás, por exemplo.

Quando são jogados pela casa e sempre disponíveis para o animal de estimação, é mais provável que se tornem apenas mais um brinquedo para mastigar.

Passear com o cachorro agitado, colocá-lo em creches (para cães que se adaptam a esse tipo de ambiente), treinar positivamente e passeios frequentes, segundo a especialista, são importantes para auxiliar no bem-estar e na manutenção do animal.

Leia mais: Curiosidades: Cachorra menstrua? Descubra aqui!

Quando você deve consultar um veterinário se tiver um cachorro agitado?

Um cão muito agitado e nervoso deve sempre ser cuidadosamente monitorado, principalmente quando se manifesta por meio de comportamentos perigosos como a automutilação.

Nesse sentido, lembre-se que a falta de estímulos adequados é prejudicial ao bem-estar do animal, comprometendo sua saúde física e emocional.

Quando você percebe que seu cachorro destrói todos os seus brinquedos e outros objetos, não é suficiente simplesmente parar de comprar ou esconder esses itens.

É fundamental descobrir como canalizar melhor a energia do animal para atividades que lhe permitam expressar comportamentos naturais. Consulte um especialista se estiver tendo problemas.

Por fim, se o animal continuar agitado apesar de todas as mudanças na rotina, é fundamental marcar uma consulta para ele.

“Podemos pensar em algo patológico quando damos ao cachorro todos os estímulos e ainda percebemos a agitação”, diz a Dra. Katina.

Nestes casos, vale a pena examinar a possibilidade de um problema neurológico.

Se gostou desse conteúdo, compartilhe: FacebookInstagramTwitter e Pinterest.

Leia também: Veja os alimentos que cachorro não pode comer – Saiba tudo aqui!

5/5 - (1 vote)
Renan Bernardihttps://cachorrolegal.com
Renan Bernardi é o tutor da cachorrinha "Laika". Também é jornalista e analista de conteúdos, formado em marketing pela EACH-USP, sendo uma das pessoas responsáveis por atualização de canais de comunicação do portal www.cachorrolegal.com. Renan integra o time de Marketing & Operações especializado em conteúdos sobre animais e outros assuntos relevantes, para todos os amantes do mundo pet.
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DESTAQUES