17/05/2022
spot_img
InícioDicas para cachorroComo cuidar de um cachorro idoso aos primeiros sinais de envelhecimento

Como cuidar de um cachorro idoso aos primeiros sinais de envelhecimento

Então, já notou que seu pet está ficando velhinho? Nesse post, vamos tratar sobre cachorro idoso e como melhorar a qualidade de vida deles!

Acontece que a idade chega para todos, não é verdade? Não seria diferente para nossos bichinhos!

Então, vamos aprender como cuidar de um cachorro idoso?

Agora ouça isso com muito cuidado! O envelhecimento é uma parte natural da vida, e como mencionado acima os nossos animais de estimação não são exceção.

Quando uma pessoa viveu mais de 34% de sua expectativa de vida, é considerada idosa.

O cachorro que está envelhecendo, como nós, é afetado pelo início da velhice e provavelmente você já percebeu alguns desses sinais.

Andam mais devagar, têm mais dificuldade em subir no sofá, não conseguem ver nem ouvir também e podem ficar com sono e preguiça.

A verdade é que, à medida que os animais de estimação envelhecem, começam a apresentar sinais e comportamentos associados ao envelhecimento.

Aqui estão os detalhes, sobre como cuidar bem dos nossos velhinhos de estimação. Conheça alguns deles!

Doenças oculares de um cachoro idoso

A catarata é uma das doenças mais comuns em cachorro idoso, no caso com mais de sete anos.

Você pode notar o aparecimento de uma mancha branca nos olhos que, se não tratada, pode levar à perda de visão.

Em alguns casos, com a ajuda de um veterinário, essa perda pode ser evitada.

Como resultado, um exame completo dos cachorros idosos é fundamental. Quando o animal fica cego, a situação fica ainda mais complicada.

Portanto, é necessário evitar que ele bata nos móveis da casa até que se ajuste (essa perda também pode ser gradativa) e garantir sua segurança em todos os locais onde terá acesso (dentro ou fora de casa, na calçada, no quintal, no pet shop, etc.).

Confira ainda: Alimentos: cachorro pode comer salmão? Descubra tudo!

Cachorro idoso têm problemas para se mover, pular ou se exercitar

Você notou como é difícil para o peludo subir escadas ou sair do sofá? Ele está escorregando em pisos lisos ou perdeu o equilíbrio?

Sempre leve o cão ao veterinário nessas situações para descartar possíveis alterações ósseas ou neurológicas.

Em alguns casos, esses problemas são uma parte natural do processo de envelhecimento.

Com a ajuda de um profissional, você poderá proporcionar uma maior qualidade de vida ao seu animal de estimação.

Com isso, determinando em quais atividades ele pode se envolver sem comprometer sua saúde ou bem-estar.

Para o cão idoso que não tem dificuldade de locomoção, são recomendadas atividades físicas moderadas.

No entanto, é sempre uma boa ideia ter cuidado durante as caminhadas mais curtas.

Leia mais: Veja a importância de recolher fezes do cachorro durante o passeio

Mudanças no comportamento de um cachorro idoso

Devido à senilidade, o comportamento de alguns cães pode mudar. O primeiro é uma mudança de humor.

Assim como nós, um cão que sempre foi dócil pode tornar-se impaciente à medida que envelhece.

O processo de envelhecimento pode resultar na perda progressiva das funções sensoriais devido à “morte” dos neurônios, bem como em alterações cerebrais semelhantes às observadas em pacientes com Alzheimer.

Disfunção cognitiva é o termo médico para essa condição. Desorientação (se perder em lugares familiares).

Além de tudo isso, há distúrbios do sono (ficar acordado a noite toda e dormir o dia todo), perda de memória (esquecer comandos aprendidos e executados ao longo da vida).

Também pode ocorrer, falta de atenção, ansiedade, irritabilidade e vocalização excessiva são todos sintomas possíveis em neste caso (choro ou uivo).

Sendo assim, é necessário ressaltar a importância do acompanhamento veterinário constante para que haja a devida orientação de como atender o animal neste momento.

Cachorro mais velhos tem dificuldades alimentares

Alguns animais de estimação mais velhos podem ter perdido muitos dentes, dificultando a alimentação.

Pode ser necessário fornecer alimentos mais macios (comida natural ou ração úmida) para garantir que o peludo continue a comer adequadamente.

Vale a pena consultar um veterinário especialista em nutrição, se possível.

Confira aqui: Por que cachorro lambe o pé do dono? Descubra tudo!

Superalimentos como medida preventiva

A qualidade de vida do animal nesta fase será fortemente influenciada pelos cuidados preventivos fornecidos.

Além do acima mencionado, é fundamental fornecer um suplemento natural que melhora a saúde e o bem-estar, ao mesmo tempo que reduz o aparecimento de doenças.

Alguns alimentos trazem benefícios à saúde dos animais de estimação, além de suas funções nutricionais básicas.

Existem oito superalimentos em uma única fórmula natural, sem conservantes, recomendada por veterinários e certificada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Veja ainda: Como escolher corretamente a casinha de cachorro

Conheça o Suplemento Geriátrico e suas vantagens

Ginkgo Biloba (Ginkgo Biloba): Devido às suas propriedades neuroprotetoras, melhora a função cognitiva em cães mais velhos, reduzindo a degeneração neurológica.

Tem um amplo efeito antioxidante e aumenta o fluxo sanguíneo cerebral, sendo útil no tratamento de sintomas de disfunção cognitiva em cachorro idoso.

Sua administração é relativamente livre de riscos devido à sua baixa toxicidade. Ele protege os neurônios e auxilia na retenção de memórias de curto prazo.

Auxilia na redução da ansiedade, desorientação e mudanças nos hábitos noturnos de animais idosos, além de outros problemas comuns.

Também auxilia na manutenção da visão e na prevenção de espasmos musculares.

Saiba mais: Confira nossas dicas em fantasias de Natal para cachorro

O poder antioxidante da romã para cachorro idoso

Romã: contém uma grande quantidade de polifenóis, que são antioxidantes, tornando seu efeito sobre os radicais livres particularmente potente e inibindo a proliferação de células tumorais, por exemplo.

Fibra, potássio, ácido fólico e vitamina C são abundantes nessa fruta. Tem um efeito protetor no coração.

Calêndula: auxilia no tratamento da inflamação gastrointestinal e do trato urinário, bem como na restauração da saúde das membranas mucosas, que revestem esses órgãos e na prevenção de úlceras gástricas.

A capacidade dos malmequeres de estimular a cura é seu benefício mais conhecido.

A levedura de cerveja é considerada um modulador do sistema imunológico porque estimula as defesas naturais.

Auxilia na digestão do animal de estimação, permitindo que o alimento seja decomposto e absorvido mais facilmente.

Leia ainda: Por que os cachorros gostam de seguir os donos? Descubra!

Acerola ajuda no fortalecimento imunológico

A acerola é rica em vitamina C e antioxidantes, que ajudam o sistema imunológico.

Também atua como adstringente e neutraliza os radicais livres, sendo útil para problemas de fígado.

Auxilia no fortalecimento do sistema imunológico, aumentando a resistência às infecções. A formação de colágeno é auxiliada, o que melhora a cicatrização.

O alho ajuda na eliminação de toxinas, atua como germicida e estimula o sistema imunológico.

Também auxilia na manutenção de níveis saudáveis ​​de colesterol, melhorando a circulação sanguínea.

Alcachofra: estimula o fígado, o que auxilia na digestão. Promove a eliminação de toxinas e a regulação do intestino, aumentando a produção e liberação de bile.

O guaraná atua como um “energético”, aumentando a resistência muscular e reduzindo a fadiga motora.

Estimula o sistema imunológico e combate doenças oportunistas, atuando como antioxidante.

É rico em catequina, uma substância que combate os radicais livres e previne o envelhecimento por atuar como antioxidante.

Depois de todas essas informações, agora você já sabe como melhorar a qualidade de vida de seu cachorro idoso, ajudando o pet nessa fase da terceira idade.

Se gostou desse conteúdo, compartilhe nas suas redes sociais. E aproveite para nos seguir e curtir: FacebookInstagramTwitter e Pinterest.

Veja também: Dicas para praticar exercícios de corrida com cachorro – Confira!

5/5 - (1 vote)
Renan Bernardihttps://cachorrolegal.com
Renan Bernardi é o tutor da cachorrinha "Laika". Também é jornalista e analista de conteúdos, formado em marketing pela EACH-USP, sendo uma das pessoas responsáveis por atualização de canais de comunicação do portal www.cachorrolegal.com. Renan integra o time de Marketing & Operações especializado em conteúdos sobre animais e outros assuntos relevantes, para todos os amantes do mundo pet.
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

DESTAQUES